1fdfe2d553e04fc18698ac515385cb64.jpg
Artigos

Conheça a série 'Humans'

Humans traz como pano de fundo um mundo onde é normal ter em casa um androide para auxiliar nos afazeres domésticos. Alguns em lojas, outros em empresas e, como sempre a humanidade torna tudo ao seu alcance em "prazer", alguns em casas noturnas.  Um presente paralelo onde androides são o novo gadget cobiçado.

Vemos cinco núcleos principais. Uma família comum, um senhor viúvo que tem uma ligação forte com seu synth de modelo ultrapassado, uma dupla de detetives, um grupo de androides independentes e um pesquisador. É onde vemos a história se desenrolar e se conectar uma à outra.

Temos uma família com pai e mãe, dois  adolescentes e uma criança. A união da família anda meio fraca pois a mãe viaja muito à trabalho e passa pouco tempo em casa. Seu marido resolve comprar um "synth" (como os androides são chamados) para arrumar a casa e fazer uma surpresa na chegada de sua esposa. Mas ela não gosta da surpresa. Ela se incomoda pela synth tomar seu lugar nos afazeres de mãe e dona de casa e pelos filhos se apegarem à ela. Acaba desconfiando e criando teorias de que tem algo de errado com esse androide que ás vezes parece ter emoções. Além do fato de seus filhos às vezes a tratarem como um escravo, o que ela tenta mostrar que não, que seu filhos têm de ter suas responsabilidades e cumpri-las.

O grupo de androides independentes são na verdade únicos. Eles tem sentimentos e estão em busca de juntar o grupo para desvendar a chave deixada no código fonte deles,pelo seu criador. E é incrível como todas as peças se encaixam, como tudo que foi apresentado no início e não parecem ter conexão, simplesmente se conectam.

O interessante são os diversos pontos para reflexão e discussão. O synths são exatamente parecidos com os humanos. Será que seria um abuso aproveitar de sua "ingenuidade" para realizar todas as tarefas que você não quer realizar? Tudo o que as pessoas fazem com eles é o que gostariam de fazer à outros seres humanos, mas isso é mascarado só pelo fato de serem máquinas. Há também vários grupos de pessoas que são contra esses androides e fazem protestos. Odeiam tanto essas máquinas que chegam a maltratá-las, quer por xingamentos, abuso de autoridade e até mesmo batendo.

Meu veredito: é uma série que tem tudo para ser boa. Concisa e sem muita enrolação, apesar do drama familiar que vemos na trama, ela chega a ter ação em certos momentos e não achei furos no roteiro. Com apenas oito episódios, a história está mais centrada. Só espero que continue assim na próxima temporada e não comecem a enrolar ou colocar elementos demais e desnecessários.

No Reino Unido, a série estreou em 14 de junho como o drama de maior audiência do canal em 20 anos. Já teve sua segunda temporada confirmada pelas redes americana AMC e a britânica Channel 4. O novo ano da série terá apenas oito episódios.

DEIXE SEU COMENTÁRIO